25 de Janeiro de 2011

  

 

A FURNA DA MARIA ENCANTADA Nº 1

 

 

Há muitos anos atrás, havia um casal que vivia na zona onde hoje é a Caldeira. Era uma família de posses, com a sua casa e muitos animais domésticos, como era costume então nas casa de campo: vacas, cabras, galinhas e galos, os quais ou ajudavam no trabalho do campo ou davam matérias primas para o vestuário ou serviam de alimento.

Era uma alegria ouvir o galo cantar durante a madrugada, quando a paz alastrava pelos campos, a lua coalhava a casa de uma luz suave e os restantes animais descansavam, espalhaddos pela serra.

Mas, um certo dia, a horas estranhas, o galo começou a cantar de maneira diferente e com insistência, o que chamou a atenção de Maria, a dona da casa. Cantou assim durante três dias e, escutando bem, percebia-se o que o galo dizia em som estridente:

-Foge, foge! Foge!

Maria compreendeu aquilo como um aviso e insistiu com o marido para que saíssem dali. Ele porém, não acreditou no que a mulher lhe dizia e recusou-se a que deixassem a sua casa e os seus bens. Ficaram, por obediência ao homem que era o chefe de família. Mas Maria tinha a certeza de que alguma coisa iria acontecer.

Passados alguns dias, a terra começou a tremer. Botou de si para fora um mar de fogo, lava e pedras. A paisagem ficou totalmente alterada. No lugar onde rebentou o vulcão apareceu a Caldeira e no sítio da casa de Maria formou-se uma furna. Toda a família desapareceu e Maria, que tinha acreditado no aviso, ali ficou encantada para todo o sempre com as suas trêrs filhas: Roda, Maria e Madalena.

No facho, um monte que faz parte da Serra da Caldeira, Maria apascentou os seus rebanhos. Protegia muito bem os seus animais e, sempre que se ouviam latidos, Maria Encantada descia da serra, vestida de trapos, toda esgadelhada, para correr com os cães que lhe queriam comer as ovelhas.

Maria Encantada também tinha as suas galinhas que eram as gaivotas, segundo dizia a rapaziada dos Fenais e de outras zonas do lado nascente da ilha Graciosa. Ninguém se atrevia a tocar-lhes com medo.

Muitas vezes a criançada, receosa, abeirava-se da furna e atirava pedras lá para dentro. Então ouvia-se um som de cacos: era a louça da Maria a quebrar-se. Mas como castigo, as crianças, que percorriam descalças os carreiros que conduziam à serra, davam topadas e feriam os dedos dos pés nas balas de Maria Encantada.

Às vezes, quando o tempo estava bom e o sol quentinho, via-se estendida a roupa que Maria lavava.

Para se alimentarem, Maria Encantada cozia o seu pão e, nessas ocasiões, a Caldeira aparecia toda coberta pelo fumo do queimar da lenha.

Quem não tiver medo pode, ainda hoje, entrar na Furna da Maria Encantada, indo pela Canada da Furna à direita, antes de chegar ao túnel que dá acesso à Caldeira. Aí verá muitos vestígios dos objectos que ela usou, tais como a pá do forno e a peneira, decalcadas no tecto de pedra.

 

Lendas e Outras Histórias de  Ângela Furtado Brum

publicado por fupg às 00:28

VOLTAMOS A EDITAR ALGUNS ARTIGOS DO NOSSO BLOG. VAMOS EDITAR OS ARTIGOS SOBRE OS VÁRIOS LOCAIS DA FREGUESIA DE GUADALUPE E EM SIMULTÂNEO ALGUMAS LENDAS DA NOSSA ILHA.

 

AOS VISITANTES DO NOSSO BLOG, PRETENDEMOS DESPERTAR O ENTUSIAMO PELA NOSSA ILHA E DAR A CONHECER AQUILO QUE PODEMOS OFERECER.

 

FUPG - A NOSSA FREGUESIA  1ª Parte

 

Guadalupe, Freguesia com 20,55 km² de área e 1 306 habitantes (2001), o que corresponde a uma densidade populacional de 63,6 hab/km².

A Freguesia ocupa a região central e noroeste da ilha Graciosa, correspondente à zona mais fértil e plana da ilha, razão pela qual foi durante a maior parte da sua história o principal centro de produção de cereais.

Esta Freguesia foi criada em 1602, pela desagregação da metade sudoeste do então Concelho de Santa Cruz da Graciosa, que repartia o território da ilha com o Concelho da Vila da Praia.

De terrenos férteis, o território que constitui a Freguesia foi povoado durante os primeiros anos do século XVI a partir de Santa Cruz, cuja propriedade organizava-se em courelas, isto é longas e estreitas fileiras de campos demarcados por paredes paralelas ou marcos, que ainda domina a paisagem local.

A riqueza dos terrenos levou a que o Guadalupe se constituísse no centro de produção cerealífera da ilha, com os terrenos a serem adquiridos pelas principais famílias de Santa Cruz. Pode-se assim afirmar que todas as grandes casas de Santa Cruz tiveram a sua raiz fundiária nos campos do Guadalupe. Com uma população que em meados do século XIX ultrapassou os 3 000 habitantes, foi durante a maior parte da história da Graciosa a mais populosa freguesia da ilha.

A Freguesia de Guadalupe é constituída por uma aglomerado de lugares, com uma estrutura de povoamento dispersa, que leva a que cada uma das povoações se aglomere ao longo das principais vias, mas mantendo a sua identidade própria. As populações tradicionalmente mantinham-se isoladas no lugar de residência, com igrejas ou capelas próprias, escolas e impérios independentes das restantes. Assim, a Freguesia é mais uma entidade administrativa do que uma entidade sociológica, já que os habitantes tendem a aderir ao seu lugar e não à Feguesia como um todo.

 

Adaptado de http://pt.wikipedia.org/wiki/Guadalupe_(Santa_Cruz_da_Graciosa)

publicado por fupg às 00:14

MAIS FOTOGRAFIAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por fupg às 00:00

24 de Janeiro de 2011

JANTAR DE NATAL 2010 - 29 DE DEZEMBRO

 

 

 

Dia 29 de Dezembro de 2010, cumpriu-se mais uma vez o Jantar de Natal da Filarmónica União Progresso de Guadalupe, na Casa do Povo de Guadalupe, que reuniu os executantes e os seus familiares.

 

Mais um momento de convívo, de confraternização e de partilha, próprio da época natalícia, em que a Filarmónica cumpre aquilo que é já uma tradição.

 

Também é o tempo de reflectir sobre o ano findo e de pensar os novos desafios para o novo ano.

 

Tempo de podermos conviver com os jovens desta Freguesia, que frequentarem o Ensino Superior e que continuam a fazer parte desta Filarmónica.

 

Jantar em que convidamos os sócios que fundaram a Filarmómica, assim como alguns políticos da nossa ilha.

 

 

A DIRECÇÃO

publicado por fupg às 23:41

21 de Janeiro de 2011

 

21 DE JANEIOR DE 2011 - ENSAIO

 

 

 

 

Ensaio na sede da Filarmónica União Progresso de Guadalupe, no dia 21 de Janeiro de 2011, pelas 20h30.

 

A seguir ao ensaio será servido um lanche.

 

Solicita-se a todos os executantes que compareçam.

 

 

 

 

A DIRECÇÃO

publicado por fupg às 00:55

FUPG - NOVA ETAPA DO BLOG

 

O dia 20 de Janeiro de 2011, marca uma nova etapa no blog da Filarmónica União Progresso de Guadalupe.

 

Após alguns meses em que o blog esteve sem ser actualizado. Cá estamos de novo para dar informações sobre a actividade da Filarmónica, da Freguesia, da ilha e até dos Açores.

 

A Filarmónica marca o início da sua actividade no ano 2011, com um novo reportório que será apresentado aquando do início das festas na nossa ilha.

 

Acompanhe a vida da Filarmónica através do nosso blog.

 

 

A DIRECÇÃO

 

 

 

 

 

publicado por fupg às 00:33

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
26
27
28
29

30
31


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


subscrever feeds
blogs SAPO